Cinema, Revolução, Montagem

29.10.2020

Foi um prazer moderar hoje o painel “Cinema, Revolução, Montagem” com comunicações de Giulia Strippoli, Raquel Schefer, e Eduarda Kuhnert. Aprendi muito. Obrigado à organização desta grande conferência Materialidade e Processos Criativos no Cinema Português: Cucinotta Caterina e Federico Pierotti!

Materiality and Creative Processes in Portuguese Cinema

20.10.2020

I’m very glad to participate in this international on-line event organised by Cucinotta Caterina (Nova University of Lisbon) and Federico Pierotti (University of Florence). I’ll be chairing the panel “Film, Revolution, Montage” on the first day of the conference.

Access: https://unifirenze.webex.com/webappng/sites/unifirenze/meeting/download
Password: 3Sx8WeJskq7

Apresentação do LIPA

19.10.2020

O Trabalho das Imagens Destacado

16.10.2020

Um muito obrigado ao Cine Clube de Viseu pelo destaque que deu ao meu livro O Trabalho das Imagens: Estudos sobre Cinema e Marxismo no último número da sua revista Argumento.

On the Common Home

06.10.2020

Very happy to be one of the 42 researchers associated with a momentous project, “Common home and new ways of living interculturally”. It is coordinated by Alex Villas Boas at the Research Centre for Theology and Religious Studies (CITER), based at the Catholic University of Portugal. My contributions will be on the aesthetics of the common home. More information here.

Intermedialities in (Post)Colonial Images

29.09.2020

Horse Money.

“Spectres of Today: The Fractures of History in Horse Money (2014)” began as a paper that I presented in a one-day workshop on (post)colonial film and intermediality at the University of Reading on 21 June 2018, organised by Maria do Carmo Piçarra and Lúcia Nagib at the Centre for Film Aesthetics and Cultures (CFAC). It was a wonderful event, with insightful papers by Carmo, Katy Stewart (University of Sheffield), and Vicente Sánchez-Biosca (University of Valencia). Those papers have now been published as articles in a special issue of Observatorio (OBS*) on intermedialities in (post)colonial images, edited by Carmo (thank you!), with additional essays by Nagib, Ana Balona de Oliveira, Afonso Dias Ramos, and Raquel Schefer. Unmissable reading available here.

O Cinema Libertado

11.09.2020

Foi ontem publicado um balanço da edição do CineAvante! deste ano no jornal Avante!, que pode ser lido aqui. Foi diferente, mas continuou o essencial. Claramente, as pessoas desejavam ver filmes depois de meses em que as salas de cinema estiveram encerradas. Ou seja, o PCP e a Festa do Avante! libertaram o cinema e garantiram o acesso a bens culturais que permanecem inacessíveis em muitas regiões do País.

Apresentação de O Trabalho das Imagens na Festa do Livro

07.09.2020

Imagens da apresentação do meu livro O Trabalho das Imagens: Estudos sobre Cinema e Marxismo na Festa do Livro da Festa do Avante. O meu profundo agradecimento à Raquel Schefer, pela leitura atenta e pelo elogio fundamentado. E também a todas as pessoas que lá estiveram — incluindo o grupo de camaradas que me cantou os parabéns naquela ocasião tão pública, com a música de ”A Internacional“ (como deve ser, portanto), instigado pela artífice do inesperado Ana Gusmão. Disseram-me que o livro esgotou e só posso ficar contente com esta demonstração de interesse que espelha a utilidade da publicação. Como escrevi: ”Um livro que resulta de investigações não é escrito apenas por uma pessoa, muito menos um volume sobre cinema e marxismo — de estudos, mas também de luta.“

O Trabalho das Imagens na Festa do Livro

26.08.2020

No segundo dia da Festa do Avante! deste ano, 5 de Setembro, às 17:30, o meu livro mais recente, O Trabalho das Imagens: Estudos sobre Cinema e Marxismo, terá uma sessão de apresentação comigo e a Raquel Schefer, a quem agradeço desde já. Mais detalhes sobre sessão aqui.

Divulgo também o programa da Festa do Livro e as suas regras de funcionamento, que visam garantir a segurança de participantes e visitantes.

Seis Anos ao Serviço da AIM

29.07.2020

Entre 2014 e 2020, contei seis anos ao serviço da AIM - Associação de Investigadores da Imagem em Movimento, cumprindo diversas funções na Direcção (Vogal, Tesoureiro, Presidente). Escuso de dizer que a AIM tem sido uma parte importante da minha vida pessoal e académica. Continuará a ser. A verdade é que não é fácil manter uma associação viva, sem conflitos que a ponham em causa, sem falta de gente com espírito associativo que disponha do seu tempo para a manter em funcionamento, com um projecto de futuro. Temos conseguido — e a recém-eleita direcção, encabeçada pela Filipa Rosário, aí está para o provar! A AIM foi fundada por um grupo de pessoas a quem devemos agradecer a iniciativa: a Ana Soares, o Daniel Ribas, o Paulo Cunha, o Paulo Granja, e o Tiago Baptista. Correspondeu à vontade de reunir investigadores da imagem em movimento em Portugal que têm objectos e temas de pesquisa em comum. É uma entidade representativa, mas também um espaço de fortes laços de amizade entre os seus membros. Diria que só assim é que vale a pena.