Filmes Revolucionários de Abril (1)

23.04.2014


Continuar a Viver ou Os Índios da Meia-Praia.



A Lei da Terra (1971).


Serão mostrados hoje nas Sessões do Carvão. O primeiro às 18:30, na Casa das Caldeiras. O segundo às 21:30, no Teatro da Cerca de S. Bernardo, seguido de debate sobre a Reforma Agrária, comigo e com Alfredo Campos (Confederação Nacional da Agricultura), moderado por Tiago Jerónimo (Prisma).

Comemoram-se os 40 anos do 25 de Abril. Vale a pena revisitar o processo revolucionário através do modo como foi registado e reflectido no cinema politizado produzido nesses anos. Estes são quatro filmes documentais com diferentes focos. Continuar a Viver ou Os Índios da Meia-Praia (1976) mostra a transformação das condições de vida e trabalho de uma pobre comunidade piscatória no Algarve. A Lei da Terra (1977), rodado em 1976, descreve os desenvolvimentos em torno da reforma agrária no Alentejo, das ocupações de terras às unidades colectivas de produção agrícola. As Armas e o Povo (1975) cobre o período entre o 25 de Abril e o 1 de Maio de 1974, juntando as grandes movimentações de rua aos discursos políticos. Deus Pátria Autoridade (1976) usa imagens de arquivo e analisa criticamente a ideologia da ditadura fascista, a partir dos aspectos enumerados no título que Salazar considerava indiscutíveis.

Filmes Revolucionários de Abril

21.04.2014

Peter Watkins: O Factual Dramático (4)

15.04.2014


La Commune (Paris, 1871).


Será mostrado amanhã nas Sessões do Carvão, em duas partes, a primeira às 18:30, a segunda às 21:30, na Casa das Caldeiras.

A original obra do cineasta inglês Peter Watkins desenvolve-se no terreno do chamado docudrama ou documentário dramático. Os seus filmes e reflexões escritas respondem à necessidade de uma transformação dos meios do cinema e da televisão que combata a globalização capitalista e a sua (re)produção social e política através do domínio cultural. Watkins tem tornado inseparável a crítica da experimentação, dissecando as figuras do directo e da reportagem, rodando na língua mais adequada ao projecto, e optando em muitos casos por durações longas. De Culloden (1964) a La Commune (Paris, 1871) (A Comuna (Paris, 1871), 2000), as suas obras pedem e geram um espectador activo e envolvido, fomentando assim a consciência histórica.

______________________

“Peter Watkins: O Factual Dramático”: (1) | (2) | (3)

Cinema 6 Chamada de Artigos/CFP

11.04.2014

A Cinema: Revista de Filosofia e da Imagem em Movimento convida à submissão de artigos para o seu sexto número sobre Gilles Deleuze e as Imagens em Movimento, editado por Susana Viegas. O prazo de submissão é a 15 de Maio de 2014 (para resumos de 500 palavras). A chamada de artigos completa está disponível aqui.

Cinema: Journal of Philosophy and Moving Image invites submissions for its sixth issue on Gilles Deleuze and the Moving Images, edited by Susana Viegas. The submission deadline is 15 May 2014 (for 500-word abstracts). The complete CFP is available here.

Peter Watkins: O Factual Dramático (3)

08.04.2014


Edvard Münch (1974).


Será mostrado amanhã nas Sessões do Carvão, em duas partes, a primeira às 18:30, a segunda às 21:30, na Casa das Caldeiras.

A original obra do cineasta inglês Peter Watkins desenvolve-se no terreno do chamado docudrama ou documentário dramático. Os seus filmes e reflexões escritas respondem à necessidade de uma transformação dos meios do cinema e da televisão que combata a globalização capitalista e a sua (re)produção social e política através do domínio cultural. Watkins tem tornado inseparável a crítica da experimentação, dissecando as figuras do directo e da reportagem, rodando na língua mais adequada ao projecto, e optando em muitos casos por durações longas. De Culloden (1964) a La Commune (Paris, 1871) (A Comuna (Paris, 1871), 2000), as suas obras pedem e geram um espectador activo e envolvido, fomentando assim a consciência histórica.

______________________

“Peter Watkins: O Factual Dramático”: (1) | (2)

Arranca o Pampifitas

04.04.2014

Começa hoje o Pampifitas, um novo festival de curtas-metragens que tem lugar na Pampilhosa. Juntem-se a nós.

Peter Watkins: O Factual Dramático (2)

02.04.2014


Gladiatorerna (Os Gladiadores, 1969).



Punishment Park (1971).


Serão mostrados hoje nas Sessões do Carvão, o primeiro às 18:30, o segundo às 21:30, na Casa das Caldeiras.

A original obra do cineasta inglês Peter Watkins desenvolve-se no terreno do chamado docudrama ou documentário dramático. Os seus filmes e reflexões escritas respondem à necessidade de uma transformação dos meios do cinema e da televisão que combata a globalização capitalista e a sua (re)produção social e política através do domínio cultural. Watkins tem tornado inseparável a crítica da experimentação, dissecando as figuras do directo e da reportagem, rodando na língua mais adequada ao projecto, e optando em muitos casos por durações longas. De Culloden (1964) a La Commune (Paris, 1871) (A Comuna (Paris, 1871), 2000), as suas obras pedem e geram um espectador activo e envolvido, fomentando assim a consciência histórica.

______________________

“Peter Watkins: O Factual Dramático”: (1)

Henrique Espírito Santo: 50 Anos com o Cinema

25.03.2014

Peter Watkins: O Factual Dramático (1)

25.03.2014


Culloden (1964).


The War Game (O Jogo da Guerra, 1965).



Privilege (Privilégio, 1967).


Serão mostrados hoje nas Sessões do Carvão, os primeiros às 18:30, o segundo às 21:30, na Casa das Caldeiras.

A original obra do cineasta inglês Peter Watkins desenvolve-se no terreno do chamado docudrama ou documentário dramático. Os seus filmes e reflexões escritas respondem à necessidade de uma transformação dos meios do cinema e da televisão que combata a globalização capitalista e a sua (re)produção social e política através do domínio cultural. Watkins tem tornado inseparável a crítica da experimentação, dissecando as figuras do directo e da reportagem, rodando na língua mais adequada ao projecto, e optando em muitos casos por durações longas. De Culloden (1964) a La Commune (Paris, 1871) (A Comuna (Paris, 1871), 2000), as suas obras pedem e geram um espectador activo e envolvido, fomentando assim a consciência histórica.

Peter Watkins: O Factual Dramático

24.03.2014