Morta por Dentro

19.12.2017


The Addiction.

Decorreu hoje a sessão de apresentação do vol. 35 da Revista de História das Ideias, dedicado ao tema “fronteiras” e editado pelos meus colegas de departamento Rui Cunha Martins e João Maria André. O evento teve lugar na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. O volume da revista foi apresentado pelo historiador Fernando Catroga e estará disponível para consulta e descarga aqui. Inclui um ensaio meu com o título “Morta por Dentro: Subjetividade e Alegoria em The Addiction” e o seguinte resumo:

The Addiction (Os Viciosos, 1994), realizado por Abel Ferrara, é uma obra cinematográfica que questiona a fronteira entre modos indirectos e directos de representação. A alegoria como modo indirecto de representação surge neste filme através de uma ligação indissociável a um modo directo, quase cru, de representação do drama existencial da protagonista. Ela chama-se Kathleen e é uma doutoranda em filosofia na Universidade de Nova Iorque. A análise que este artigo desenvolve incide, primeiro, na forma como Kathleen se vai definindo face ao horror do mal e, depois, no caminho moral que ela percorre até ao fim. A conclusão desta leitura inclui o enquadramento de The Addiction na filmografia de Ferrara, sem o qual este filme não pode ser apreciado em toda a sua riqueza artística.