O Direito do Mais Forte à Liberdade: Soleil Ô

22.02.2017


Soleil Ô.

O ciclo de cinema “O Direito do Mais Forte à Liberdade” começa amanhã na Sala do Carvão, Casa das Caldeiras, às 21:00, com o filme Soleil Ô (1967), realizado por Med Hondo.

Abundância e Violência: A América Contemporânea Vista por Wim Wenders (2)

21.02.2017


Ten Minutes Older: The Trumpet – “Twelve Miles to Trona” (“Doze Milhas para Trona”, 2002).


The Million Dollar Hotel (The Million Dollar Hotel - O Hotel, 2000).


The End of Violence (Crimes Invisíveis, 1997).

Estes filmes serão mostrados amanhã nas Sessões do Carvão, os primeiros às 18:30, o segundo às 21:30.
______________________
“Abundância e Violência: A América Contemporânea Vista por Wim Wenders”: (1)

O Direito do Mais Forte à Liberdade

20.02.2017

É uma iniciativa inédita na Universidade de Coimbra que junta o Centro de Estudos Sociais (CES)/Faculdade de Economia (FEUC), o Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX (CEIS20) e o Curso de Estudos Artísticos da Faculdade de Letras (FLUC). Visa gerar um espaço de reflexão sobre os processos coloniais e as relações pós-coloniais que ultrapasse limites disciplinares, mas também o espaço da sala de aula, analisando a complexidade das relações políticas, sociais e culturais do mundo de hoje. O título do ciclo é uma apropriação da feliz e complexa tradução portuguesa do título do filme realizado por R. W. Fassbinder em 1974, Faustrecht der Freiheit: O Direito do Mais Forte à Liberdade. Trata-se de um retrato desapiedado da sociedade alemã do pós-guerra. O título em português enfatiza o parasitismo e o carácter predatório do capitalismo transmutado para uma relação amorosa na qual não se reconhece a igualdade entre os amantes. O ciclo parte da premissa da relação inextricável entre colonialismo e capitalismo na formação do mundo dos últimos 150 anos, questionando a forma como o colonialismo se alimentou daquilo a que Partha Chatterjee denominou de “regra da diferença colonial”.

Abundância e Violência: A América Contemporânea Vista por Wim Wenders (1)

14.02.2017


Land of Plenty.


Don’t Come Knocking (Estrela Solitária, 2005).

Estes filmes serão mostrados amanhã nas Sessões do Carvão, o primeiro às 18:30, o segundo às 21:30.

O fascínio do cineasta alemão Wim Wenders pelos EUA tem marcado a sua obra fotográfica e cinematográfica. Na sua filmografia, além de elementos dispersos pelos seus primeiros filmes, essa ligação torna-se evidente em Der Amerikanische Freund (O Amigo Americano, 1977), adaptação de um romance de Patricia Highsmith com o actor Dennis Hopper. Volvidos alguns anos, Wenders rodou a sua primeira obra na América: Paris, Texas (1984). O conjunto de filmes reunidos neste ciclo são posteriores a Paris, Texas e retratam a abundância (e desigualdade social) e a violência (e o medo) na América contemporânea. Assim, começa com Land of Plenty (Terra da Abundância, 2004) e termina com The End of Violence (Crimes Invisíveis, 1997).

“Por Dentro das Imagens”: Conferência e Lançamento do Livro

13.02.2017

Sessões do Carvão: “Abundância e Violência: A América Contemporânea Vista por Wim Wenders”

13.02.2017

15 FEVEREIRO

18:30   Land of Plenty (Terra da Abundância, 2004), real. Wim Wenders

21:30   Don't Come Knocking (Estrela Solitária, 2005), real. Wenders

22 FEVEREIRO

18:30   Ten Minutes Older: The Trumpet – “Twelve Miles to Trona” (“Doze Milhas para Trona”, 2002), real. Wenders | The Million Dollar Hotel (The Million Dollar Hotel - O Hotel, 2000), real. Wenders

21:30   The End of Violence (Crimes Invisíveis, 1997), real. Wenders

Terras Mineiras

09.02.2017


Eldorado XXI.

O jornal Avante! publica hoje um artigo que escrevi sobre o inesquecível documentário Eldorado XXI (2016), realizado pela Salomé Lamas. Chamei-lhe “Terras Mineiras”. Está disponível para ser lido aqui.