The Terror of Control

24.04.2013


Homeland, “Grace” (1.02).

I am presenting a paper at the Images of Terror, Narratives of (In)security: Literary, Artistic and Cultural Responses conference after lunch. It is called “The Terror of Control: Surveillance and Imperialism in Homeland”. Here is the abstract:

The American television series Homeland (2011 -) dramatically explores the impact of US foreign policy and, in particular, the effect and response to the terrorist attack of September 11, 2001. The CIA operative Carrie Mathison (Claire Danes) condenses the paranoia resulting from this attack. Carrie’s distrust regarding Sergeant Nicholas Brody (Damian Lewis), an Al Qaeda prisoner of war, who experienced the force imposed by the US army in the world, is accompanied by a feeling of loss of control, a fear of interpretation mistakes, and a continuous insecurity. This paper will focus on how this televisual work reveals the proliferation of eyes and ears of the American intelligence services in the US and beyond its physical borders. The portrait that Homeland provides has a self-reflective character, showing agents as spectators of the scenes that the television spectators also see and hear, whether set in public or private spaces. As Giorgio Agamben says, the surveillance apparatus transforms all spaces into the inside of a huge prison. The act of permanently and unlimitedly surveilling that is unveiled in the series thus serves as demonstration of an imperialist power. This power has a monopoly on the last observation, one that surpasses all other observers, and tries to control all potential movements in order to read them and make sure that a new terrorist attack does not happen.

Conquistas da Liberdade (2)

23.04.2013


La battaglia di Algeri (A Batalha de Argel, 1966).


Outro País (2000).

Serão mostrados amanhã nas Sessões do Carvão, o primeiro às 18:30, o segundo às 21:30, na Casa das Caldeiras.
______________________
“Conquistas da Liberdade”: (1)

Images of Terror, Narratives of (In)security

22.04.2013

O Interior: “A Vida Ganha”

18.04.2013


Ganhar a Vida.

Na minha segunda crónica para o jornal O Interior, escrevo sobre o filme Ganhar a Vida (2001), dirigido por João Canijo. Pode ser lida aqui.

Clássicos no Cinema

16.04.2013

Conquistas da Liberdade (1)

16.04.2012


La Marseillaise (A Marselhesa, 1938).


Oktyab (Outubro, 1928).

Serão mostrados amanhã nas Sessões do Carvão, o primeiro às 18:30, o segundo às 21:30, na Casa das Caldeiras.

Que imagens nos legou o cinema das conquistas da liberdade colectiva? Estas obras equacionam os grandes movimentos populares de emancipação de formas diferentes: cruzando perspectivas de diversas forças sociais na Revolução Francesa, mostrando a dialéctica do processo revolucionário na Revolução de Outubro, relacionando as vidas individuais e as massas humanas na libertação da Argélia, e analisando os olhares de cineastas e fotógrafos estrangeiros sobre a Revolução dos Cravos.

Patricio Guzmán: A Textura da Memória (2)

10.04.2012


Salvador Allende (2004).


Nostalgia de la luz (Nostalgia da Luz, 2010).

Serão mostrados amanhã nas Sessões do Carvão, o primeiro às 18:30, o segundo às 21:30, na Casa das Caldeiras.
______________________
“Patricio Guzmán: A Textura da Memória”: (1)

Patricio Guzmán: A Textura da Memória (1)

03.04.2012


La batalla de Chile I: La insurrección de la burguesía (A Batalha do Chile I: A Revolta da Burguesia, 1975).


La batalla de Chile II: El golpe de estado (A Batalha do Chile II: O Golpe de Estado, 1976).


La batalla de Chile III: El poder popular (A Batalha do Chile III: O Poder Popular, 1979).

Serão mostrados hoje nas Sessões do Carvão, os primeiros às 18:30, o segundo às 21:30, na Casa das Caldeiras.

Todos os documentários lidam com a memória, preservando-a e discutindo-a, mas os filmes do documentarista Patricio Guzmán levantam questões específicas. A mais radical talvez seja o modo como o cinema documental pode, não apenas registar eventos, mas captar o modo como são sentidos, vertendo-os na textura de um filme. Na filmografia de Guzmán, esta preocupação é ainda acompanhada pela concentração temática na história do Chile.